20 Dicas Para Escrever Bons Textos

Todos aqueles que criaram o seu ‘site’ ou blogue na Internet  ou um perfil nas redes sociais aspiram a escrever bons textos para fornecerem aos seus leitores e visitantes e, assim, popularizarem mais o seu espaço na Web, aumentando também o ‘page rank’ da sua página pessoal. Este texto tem como objetivo fornecer aos criadores de ‘sites’ e blogues algumas dicas para melhorarem os seus textos, os seus artigos. Vejamos algumas dessas dicas!

  1. Escolha bem o título do texto. É importante um título sugestivo, relacionado com o texto, obviamente, e utilizando palavras-chave mais utilizadas nas pesquisas feitas na Internet.
  2. O texto é constituído por três partes: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. Na Introdução, faz-se uma apresentação, uma síntese do assunto principal do texto. No Desenvolvimento, apresentamos o tema desenvolvido, com os nossos pontos de vista, argumentos e ideias-chave. Na Conclusão, faz-se uma espécie de balanço final do texto.
  3. O assunto mais importante do texto deve ser indicado no 1º parágrafo. Utiliza-se a ‘regra do triângulo invertido’, isto é, primeiro apresenta-se o assunto mais importante (base do triângulo) , diminuindo de importância até ao fim do texto.
  4. Escreva o texto a pensar no leitor que o vai ler e não em si. Utilize palavras simples e não palavras rebuscadas.
  5. Utilize frases não muito compridas, no máximo com duas a três linhas, no geral; de outro modo, o leitor cansa-se e vai-se embora, antes de chegar ao fim do texto.
  6. Faça textos não muito curtos nem  muito compridos – no máximo até 600 ou 700 palavras.
  7. Para prender a atenção do leitor, acrescente no texto, sempre que possível e a propósito do que está a escrever, uma citação, uma referência, um exemplo concreto, uma metáfora, uma analogia, um apontamento de humor, etc..
  8. Insira no texto, sempre que possível, imagens sugestivas e relacionadas com o texto. As imagens captam melhor a atenção do leitor e, se forem suficientemente sugestivas, cativam-no para a leitura do resto do texto.
  9. Escreva principalmente quando se sentir inspirado e crie um bom ambiente ao seu redor.
  10. Nos primeiros parágrafos, deve atrair a atenção do leitor, ‘falando’ directamente com ele, utilizando algumas das seguintes técnicas: colocando-lhe questões (exemplos: ‘já alguma vez lhe aconteceu……..’, ‘sabia que ……….‘; dando-lhe informações importantes: ‘está provado que ……….’; fazendo o leitor utilizar a sua imaginação: ‘imagine o leitor que ….….’; aproximando-se do leitor:  ‘eu sei que o leitor está a pensar que…….’; etc..
  11. Evite repetições, em excesso, de palavras; substitua-as por sinónimos.
  12. Utilize a redundância, mas com conta, peso e medida. Com efeito, a repetição de ideias é importante em muitas situações, para explicar melhor a ideia que se pretende transmitir; contudo, nem sempre deve ser utilizada ou, deve ser utilizada com parcimónia.
  13. Muito cuidado com a ortografia e a construção das frases, particularmente as concordâncias. É desagradável ler textos com erros e, frequentemente, os leitores fogem imediatamente logo que detetam erros no texto. Se não utiliza ainda o Novo Acordo Ortográfico, está na altura de começar a familiarizar-se com ele, progressivamente, como eu estou a fazer.
  14. Nunca publique um texto logo que acabou de o escrever. Releia-o várias vezes, ao longo de vários dias. Vai ver que tem coisas para emendar, seja de ortografia, seja na construção das frases, seja relativamente à sequência das ideias ou, mesmo, para acrescentar outras ideias que, entretanto, lhe surgiram.
  15. Corte as palavras desnecesárias (a mais), de forma a ‘enxugar’ o texto.
  16. Formate o texto, utilizando um Processador de Texto. Utilize um corpo que permita uma leitura sem esforço para a maioria dos leitores (por exemplo, corpo 12), fontes tipo arial, tahoma ou times new roman, espaçamentos entre parágrafos, títulos a bold, etc..
  17. Coloque, no texto, links para outros textos seus, relacionados com o tema que escreveu.
  18. Tire conclusões no final do texto, acrescentando uma frase forte que dê que pensar ao leitor e lhe abra o ‘apetite’ de voltar. Coloque a data e assine o texto.
  19. Antes de publicar, dê o texto a ler a um amigo e peça a sua crítica.
  20. Após a publicação, divulgue o texto por amigos, conhecidos ou outros contactos.

José Vagos Carreira Matias

www.josematias.pt

https://www.facebook.com/jvcmatias

Sobre josematias

Licenciado em Engenharia Electrotécnica, ramo Energia e Potência, pelo
I.S.T., em 1977, cedo comecei a leccionar no Ensino Secundário, desde 1975
até à data.
A falta, então existente, de material didáctico para o apoio das aulas
teóricas e práticas da área de Electrotecnia/Electrónica, fez despertar a
necessidade de produzir textos de apoio para os alunos que, em colaboração
com o colega Ludgero Leote, permitiu que fossem publicados os livros
‘Automatismos Industriais – Comando e regulação’, ‘Sistemas de Protecção
Eléctrica’ e ‘Produção, Transporte e Distribuição de Energia’, em 1981/2/3. A
partir daí, nunca mais parei de escrever, o que para mim é um prazer! O colega
Leote, com outros interesses diversificados, desistiu de escrever para
publicação.
Escrevi ainda o livro Máquinas Eléctricas-Transformadores com o colega
José Rodrigues que, entretanto, se deslocou para o Portugal ‘profundo’ (um
abraço)!
Tive uma curta experiência como Orientador Pedagógico, à
Profissionalização, no Alentejo, muito interessante, mas que não foi suficiente
para deixar o contacto directo com o aluno, e com os livros, os quais saem
bastante enriquecidos com esse contacto permanente. Na verdade, é bem
verdadeiro o velho ditado “ao ensinar, aprende-se duas vezes”. É esta a
principal razão para continuar com o giz e o apagador, e não dentro de um
qualquer gabinete, apesar dos problemas actuais do nosso ensino. Se, cada um
de nós, dentro das suas possibilidades, características e competências, dermos
algo aos outros, sairemos todos mais enriquecidos!
O meu trabalho é fundamentalmente autodidacta, com muita pesquisa (nos
livros, na Internet, no laboratório real e, agora, no virtual). Apesar das
dificuldades do ensino, nunca desisti, e não vou desistir. Acredito que este
país irá saber dar a volta por cima ! Depende de cada um de nós!

Esta entrada foi publicada em Artigos, Reflexões, Textos, Uncategorized com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *