Como Melhorar As Suas Pesquisas No Google

  1. Busca Padrão – Ao colocar no retângulo de pesquisa do Google, por exemplo, a expressão flores amarelas, o Google vai pesquisar todos os textos que tenham a palavra flores, a palavras amarelas e, simultaneamente, as duas palavras: flores e amarelas.
  2. Se quisermos que o Google apresente só os textos que contenham simultaneamente flores e amarelas, então devemos colocar a expressão entre aspas, assim:  “flores amarelas”.
  3. Busca Forçada – Há palavras que o Google descarta, nas suas pesquisas, não as apresentando, como sejam os artigos definidos, as preposições, etc.. Mas quando queremos forçar, na busca, o aparecimento de alguma ou algumas delas  numa dada frase, devemos colocar o sinal + imediatamente antes (sem espaço) dessa palavra. Exemplo de busca:  +como comprar +um livro específico. Neste caso, o Google já não descarta as palavras – como e um -, apresentando-as na busca efetuada.
  4. Busca Excluida – Quando queremos excluir certas palavras na busca, utilizamos o sinal (menos) imediatamente antes (sem espaço) da palavra a excluir na busca. Exemplo: tipos de fruta –laranja. A busca vai apresentar textos que falem de fruta, e tipos de fruta, excluindo a laranja. Nota: Evidentemente que os links de anúncios pagos ao Google não entram nessas exclusões, bem como em outras situações de limitações de busca.
  5. Busca dentro de sites – Quando se pretende fazer buscas por certo termo ou expressão dentro de um dado site, utilizamos o termo site nessa busca. Por exemplo, a seguinte busca –  site:josematias.pt/eletr biografia de Zé da Palacida vai dar-nos todos os links de páginas dentro do site www.josematias.pt/eletr onde se refere a biografia de Zé da Palacida.
  6. Busca em títulos de páginas – Para fazer pesquisas dentro dos títulos de páginas e postes, utilizamos o termo intitle. Exemplo –  intitle:pescador  dá-nos todos os textos que tenham a palavra pescador no título.

O termo allintitle permite procurar mais do que uma palavra nos títulos. Exemplo – allintitle:pescador na Nazaré.

 7.      Busca por palavras em URL’s – Utiliza-se o termo inurl quando queremos procurar certas palavras dentro do URL de um dado site. Exemplo – site:josematias.pt/eletr inurl:eletricidade vai dar-nos os links de todas as páginas que tenham a palavra eletricidade dentro do site especificado.

Se pesquisarmos só por inurl:eletricidade, ele faz a pesquisa para todos os sites indexados no Google.

8. Buscas relacionadas – Utilizando o termo related, o Google pesquisa por páginas semelhantes a uma dada página. Por exemplo – related:http://www.deco.proteste.pt/  dá-nos um conjunto de páginas que ele entende serem semelhantes ao site indicado.

9. Buscas por extensão de arquivos – Utilizando o termo filetype, o Google procura por textos publicados num dado formato (pdf, doc, gif, jpg, etc.). Exemplo –  curto-circuito filetype:doc – dá-nos textos sobre o tema curto-circuito em documentos com a extensão doc.

10. Busca de conceitos – Quando temos dúvidas sobre a forma como se escreve uma dada palavra, utilizamos o termo define para procurar a palavra correta. Exemplo – define:compaço – vai dar-nos a resposta certa que é compasso.

11. Busca por informação – Quando queremos obter alguma informação sobre um ste ou blog qualquer, utilizamos o termo info. Exemplo – info:josematias.pt/eletr.

12. Busca na Cache do Google – Utilizando a Cache do Google, podemos rapidamente obter informação que muitas vezes já nem está disponível no site respetivo. Exemplo – cache:josematias.pt/eletr pesca vai dar-nos alguma informação deste site sobre o tema pesca.

13. Busca usando asterisco – Quando não nos lembramos de uma palavra qualquer numa frase, colocamos lá um asterisco * e o Google devolve-nos o texto ou textos com a palavra correta que nos faltava. Exemplo –  Sport * e Benfica – vai dar-nos a palavra que faltava e que é Lisboa. Isto é, estamos a referir-nos ao Glorioso – o maior clube de futebol português – o Sport Lisboa e Benfica ou SLB.

14. Cálculos matemáticos – Se quisermos saber o resultado rápido de uma conta, podemos utilizar o pesquisador do Google para obter o resultado. Exemplo: 9*8 – o Google dá-nos o resultado, que é 72. Experimente outros cálculos!

15. Conversões de grandezas – O Google permite converter as unidades das grandezas, umas nas outras: comprimento, tempo, força, etc. Por exemplo, podemos escrever na caixa de pesquisa 5 horas em minutos e obtemos a conversão respetiva de 5 horas em minutos, que são 300 minutos.

16. O Google não faz distinção entre letras maiúsculas e minúsculas, nem distingue palavras acentuadas de não-acentuadas. Por isso, na pesquisa, não é necessário ter essas preocupações.

17. Busca utilizando o operador ~ (til) – Utilizando este operador antes da palavra a pesquisar, o Google apresenta respostas para palavras semelhantes à pesquisada. Exemplo de pesquisa:  ~dançar  – o Google apresenta resultados para dança, dançarino e, claro, para dançar.

Nota: Leia também os artigos:

1)      Vantagens e desvantagens das Novas Tecnologias (http://josematias.pt/eletr/vantagens-e-desvantagens-das-novas-tecnologias/)

2)      AS virtualidades do WordPress (http://josematias.pt/eletr/as-virtualidades-do-wordpress/)

3)      Como fazer a Base de Dados da sua Biblioteca Particular (http://josematias.pt/eletr/a-escrita-e-a-criatividade-texto-7-fazer-a-base-de-dados-da-sua-biblioteca/)

4)      Como imprimir a partir do seu telemóvel android (http://josematias.pt/eletr/cloudprint/)

5)      Ou pesquise na página Temas Úteis (http://josematias.pt/eletr/temas-uteis/)

PARTILHE  ESTE  ARTIGO !!!

15_09_2013   JMatias

www.josematias.pt

www.josematias.pt/eletr

www.facebook.com/jvcmatias

http://pt.linkedin.com/in/jvcmatias/

http://jvcmatias.blogspot.pt/

Sobre josematias

Licenciado em Engenharia Electrotécnica, ramo Energia e Potência, pelo I.S.T., em 1977, cedo comecei a leccionar no Ensino Secundário, desde 1975 até à data. A falta, então existente, de material didáctico para o apoio das aulas teóricas e práticas da área de Electrotecnia/Electrónica, fez despertar a necessidade de produzir textos de apoio para os alunos que, em colaboração com o colega Ludgero Leote, permitiu que fossem publicados os livros ‘Automatismos Industriais – Comando e regulação’, ‘Sistemas de Protecção Eléctrica’ e ‘Produção, Transporte e Distribuição de Energia’, em 1981/2/3. A partir daí, nunca mais parei de escrever, o que para mim é um prazer! O colega Leote, com outros interesses diversificados, desistiu de escrever para publicação. Escrevi ainda o livro Máquinas Eléctricas-Transformadores com o colega José Rodrigues que, entretanto, se deslocou para o Portugal ‘profundo’ (um abraço)! Tive uma curta experiência como Orientador Pedagógico, à Profissionalização, no Alentejo, muito interessante, mas que não foi suficiente para deixar o contacto directo com o aluno, e com os livros, os quais saem bastante enriquecidos com esse contacto permanente. Na verdade, é bem verdadeiro o velho ditado “ao ensinar, aprende-se duas vezes”. É esta a principal razão para continuar com o giz e o apagador, e não dentro de um qualquer gabinete, apesar dos problemas actuais do nosso ensino. Se, cada um de nós, dentro das suas possibilidades, características e competências, dermos algo aos outros, sairemos todos mais enriquecidos! O meu trabalho é fundamentalmente autodidacta, com muita pesquisa (nos livros, na Internet, no laboratório real e, agora, no virtual). Apesar das dificuldades do ensino, nunca desisti, e não vou desistir. Acredito que este país irá saber dar a volta por cima ! Depende de cada um de nós!
Esta entrada foi publicada em Google, Melhorar as buscas no google, Melhorar as pesquisas, Pesquisa, pesquisas mais eficientes. ligação permanente.

Deixar uma resposta