O Que É O Google Glass

O Google Glass é uma das tecnologias do futuro, e com futuro, que brevemente estará ao alcance dos cidadãos que tiverem dinheiro para a adquirirem. A sua saída no mercado está projetada para 2014 e o preço inicial deverá rondar os 1500 dólares.

A acreditar nas funcionalidades prometidas e que já foram experimentadas e divulgadas por algumas pessoas escolhidas pela empresa Google, o Google Glass terá um futuro muito promissor, com um enorme potencial de aplicação nas áreas mais diversas da sociedade e do mundo do trabalho. O Google Glass é um óculo com um dispositivo colocado no canto superior direito, constituído por um processador, um monitor, uma câmara de áudio/vídeo e fotografia, um microfone e um altifalante. É, portanto, um microcomputador colocado sobre um óculo que lhe serve de suporte. O microcomputador é comandado por voz e tem um aplicativo – o MyGlass – que lhe permite ligar-se à internet, executando várias funções: receber e enviar fotos, vídeos, chamadas telefónicas, sms, ligação GPS, recebendo mapas geográficos do local, pesquisas de localizações nos mapas, etc..

O Google Glass dispõe ainda de vários sensores que permitirão multiplicar o número de aplicações possíveis, sendo um campo de enorme potencial e que será convenientemente explorado pelos criativos tecnológicos. Os sensores já incluídos são: campo magnético, rotação, aceleração, luminosidade, orientação, gravidade. Certamente que muitos outros serão incluídos ou acrescentados utilizando outras aplicações, nomeadamente sensores de proximidade e de movimento, os quais permitirão ler os movimentos do corpo do utilizador do Google Glass, facultando a possibilidade de leitura do movimento dos olhos, da cabeça, etc, como forma de comando, para além da voz. Neste caso, permitiria a sua utilização por deficientes motores e por surdos-mudos.

É, por isso, um microcomputador muito leve e que podemos transportar para qualquer lado e utilizá-lo em qualquer lugar, de uma forma fácil e prática, com múltiplas vantagens. É mais um gadget que contribui para o incremento da Realidade Aumentada, que não é mais do que a junção da Realidade Virtual à própria Realidade, contribuindo para a melhor compreensão desta.

A ligação à internet pode ser feita por WiFi, dentro de casa, ou por Bluetooth ao smartphone, se andarmos na rua. Como tem também ligação GPS, pode ser localizada a nossa posição e, podemos pesquisar o que quisermos – restaurantes, cafés, bares, bombas de gasolina, etc.  – , abrindo-se um mapa no monitor, com o trajeto, sempre atualizado, para o local pesquisado.

Por enquanto, as ordens de comando oral são feitas apenas em inglês, do género ‘OK Glass, show me a portuguese restaurant’, ou ‘OK Glass, take me a picture’, ou ‘OK Glass, Record a video’, como exemplos. Google-Glass-Camera-closeup-640x392

Preveem-se já aplicações de enorme utilidade pública, ou não-pública, como por exemplo as seguintes:

1) Num local de um acidente, chega o enfermeiro de uma ambulância, com o Google Glass, envia um vídeo do paciente, em tempo real, para o hospital, onde o médico de serviço coordena as operações, inteirando-se da situação e dando algumas instruções adequadas à situação.

2) Ou, em caso de um incêndio, o bombeiro ou bombeiros, no local de incêndio, enviam um ou mais vídeos sobre o incêndio para o Comando Central que, assim, coordenará melhor todas as operações.

3) Ou ainda, na escola, o professor enviará para os seus alunos um vídeo, em tempo real, de um trabalho prático que está a realizar, o qual poderá ser visualizado noutro local, ou mesmo nos smartphones.

4) Esta técnica terá também enormes aplicações no mundo das videoconferências, que poderão ser utilizadas em todos os setores da atividade humana.

5) Ou ainda, numa fábrica, um técnico repara uma máquina e, num certo gabinete, a operação é seguida, passo a passo, por outros responsáveis da fábrica, os quais poderão também dar sugestões ou indicações.

É fácil de imaginar muitas outras aplicações de enorme utilidade prática e que revolucionarão o tempo de resposta no apoio a situações de emergência; se o próprio acidentado dispuser de um Google Glass, isso poderá constituir a diferença entre a vida e a morte, em muitas situações.

Durante os testes efetuados ao Google Glass, um cirurgião efetuou já uma intervenção cirúrgica, utilizando este dispositivo, tendo sido a intervenção seguida por uma equipa de médicos instalada numa sala.

O Google Glass permite também ligar às redes sociais, ver a previsão meteorológica, fazer chamadas telefónicas, entre outras.

A grande vantagem desta tecnologia, em relação a outras, é a sua praticabilidade e portabilidade, com libertação das mãos, as quais ficam assim disponíveis para realizarem outras tarefas. São estes os atributos que lhe conferem um grande futuro e enorme potencial de aplicabilidade.

Leia também os artigos:

http://www.josematias.pt/eletr/as-impressoras-3d-aplicacoes-e-potencial/

e    http://www.josematias.pt/eletr/tecnologias-do-futuro/

JVCMatias

www.josematias.pt/eletr

www.josematias.pt

https://www.facebook.com/jvcmatias

http://www.linkedin.com/in/josevcmatias

Sobre josematias

Licenciado em Engenharia Electrotécnica, ramo Energia e Potência, pelo I.S.T., em 1977, cedo comecei a leccionar no Ensino Secundário, desde 1975 até à data. A falta, então existente, de material didáctico para o apoio das aulas teóricas e práticas da área de Electrotecnia/Electrónica, fez despertar a necessidade de produzir textos de apoio para os alunos que, em colaboração com o colega Ludgero Leote, permitiu que fossem publicados os livros ‘Automatismos Industriais – Comando e regulação’, ‘Sistemas de Protecção Eléctrica’ e ‘Produção, Transporte e Distribuição de Energia’, em 1981/2/3. A partir daí, nunca mais parei de escrever, o que para mim é um prazer! O colega Leote, com outros interesses diversificados, desistiu de escrever para publicação. Escrevi ainda o livro Máquinas Eléctricas-Transformadores com o colega José Rodrigues que, entretanto, se deslocou para o Portugal ‘profundo’ (um abraço)! Tive uma curta experiência como Orientador Pedagógico, à Profissionalização, no Alentejo, muito interessante, mas que não foi suficiente para deixar o contacto directo com o aluno, e com os livros, os quais saem bastante enriquecidos com esse contacto permanente. Na verdade, é bem verdadeiro o velho ditado “ao ensinar, aprende-se duas vezes”. É esta a principal razão para continuar com o giz e o apagador, e não dentro de um qualquer gabinete, apesar dos problemas actuais do nosso ensino. Se, cada um de nós, dentro das suas possibilidades, características e competências, dermos algo aos outros, sairemos todos mais enriquecidos! O meu trabalho é fundamentalmente autodidacta, com muita pesquisa (nos livros, na Internet, no laboratório real e, agora, no virtual). Apesar das dificuldades do ensino, nunca desisti, e não vou desistir. Acredito que este país irá saber dar a volta por cima ! Depende de cada um de nós!
Esta entrada foi publicada em google glass, Novas Tecnologias, realidade aumentada, tecnologias do futuro. ligação permanente.